Cristal

Para Laura Torres Montenegro

O teu coração parece tão frágil
Que tenho medo que o mundo o parta,
Quero ser pra você como um ninho de pássaro
Alguém que como um anjo te guarda

Não te apriosiones nos teus medos
Ou se prenda às dores que já viveu
Faz do teu sorriso um sol pro teu caminho
E esquece as tristezas que a vida te deu

O teu coração tão pequeno ainda
Segura-o com cuidado pra não o quebrar
Como um cristal, de tão delicado
Pode partir quando uma lágrima rolar

Mas não temas viver tua vida
Por medo de sofrer ou de amar
Que efêmero é o tempo a passar
Como de um rio as águas, ou flores a desabrochar

E, por fim, desabroches
Como uma flor se abre pro sol
E no teu caminhar eu prometo
Que em momento algum te deixarei ficar só

 

Pedro Araújo

Tanto

Para você que eu esperei por tanto tempo

Eu que já uso tantas palavras
Nem sei mais quais devo usar
Você tem o incrível dom de me roubá-las
E eu fico sem jeito de te confessar
E encontrar alguma forma de te dizer
Que há tanto tempo o meu sorriso não era tanto sincero
Como quando estou com você
E o brilho nos meus olhos tão verdadeiro
Procurando sempre os teus ao te ver
E que há tanto tempo a minha vida
Não tinha tanta alegria em viver
E que você invadiu os meus sonhos
E me fez perceber
Que tanto tempo nós dois perdemos
Desperdiçado, sem saber
Que a coisa mais bonita nesse mundo
É o encontro do nosso olhar e saber
Que pro resto das nossas vidas
Não importa como, vamos nos ter.

 

Pedro Araújo

Miragem

Para Sanmara Alcantara

Quando foi que eu me perdi na tua miragem?
Quando foi que a tua face iluminou os meus desejos?
Fazendo de mim refém das tuas vontades
Despertando sentimentos que mantive em segredo

Como foi que não percebi tua voz se instalando
Nos meus pensamentos, nos meus anseios?
Quando me dei conta de que você está na minha mente o tempo inteiro?
Quando foi que teu corpo me deixou essa saudade?
Quando foi que tiraste o véu dos meus medos?

Quando foi que me dei conta dos meus sentimentos?
De que sou louco até pelos teus defeitos
De que eu te quero tanto, quero teu cheiro
Te ouvir suspirando, provar do teu beijo

E mesmo que não saibamos o que sentimos ao certo
E que seja incerto o nosso jeito de amar
Ainda que eu não entenda como chegamos aqui
É com você, sempre você, que eu quero ficar.

 

Pedro Araújo

Adeus, 2016

Para Raíssa França

 

31 de dezembro de 2016.
O dia amanheceu tão ensolarado e claro que acho que esqueceram de avisar ao mundo que ele vai virar hoje. O que fará o amanhã ser tão diferente assim do hoje?
2016 foi um ano amargo para muitas pessoas. Os acontecimentos mundiais reforçam isso. Os ataques terroristas, a guerra na Síria, as tragédias e tantas outras coisas. Tanto dor e tristeza numa mistura tão banal que o nosso coração vai se acostumando ao que é ruim e isso vai matando a humanidade dentro de nós, a humanidade do mundo. Onde estão as autoridades que podem parar o massacre na Síria? Será que ninguém se comove? Será que ninguém pensa nas milhares de vítimas inocentes que diariamente perdem suas vidas numa guerra de interesses, dinheiro e política? Quando foi que se tornou compreensível uma pessoa escolher colocar várias vidas em risco em vez de admitir um erro por medo de perder o emprego? Olhando para trás, é triste ver o quando o nosso mundo parece estar desandando. Continuar lendo

Ela

Conheci-a num dia qualquer, numa tarde qualquer, num lugar qualquer. Apesar da minha boa memória não consegui guardar esses detalhes. Uma pena. Gostaria de saber como foi o primeiro olhar que trocamos, as primeiras palavras. Não lembro de nada disso. Mas lembro com clareza do dia em que o sorriso dela iluminou a minha face, e de como senti aquela luz adentrando o meu corpo, correndo pelas minhas veias, fazendo pulsar meu coração, causando um frio na barriga e arrepiando os pelos do meu corpo. Ela usava uma blusa preta e um short jeans, era tarde de sábado, fazia sol de verão. De todas as coisas eternas e infinitas que existem no mundo, como o universo e os números, aquele sorriso é a minha infinitude favorita. Guardarei-o para sempre em minhas lembranças. Não por querer, mas porque aquele sorriso se instalou em mim de forma tão completa que não conseguiria esquecê-lo mesmo que eu quisesse. Continuar lendo

Em uma folha de papel amarelo com linhas verdes

Em uma folha de papel amarelo com linhas verdes
ele escreveu um poema
E o intitulou “Chops”
porque era o nome de seu cão
E era o que estava em toda parte
E seu professor lhe deu um A
e uma estrela dourada
E sua mãe o abraçou à porta da cozinha
e leu o poema para as tias
Era o ano em que o padre Tracy
levava todas as crianças ao zoológico
E ele deixou que cantassem no ônibus
E sua irmãzinha tinha nascido
com unhas minúsculas e nenhum cabelo
E sua mãe e seu pai se beijavam tanto
E a garota da esquina mandou para ele
um cartão de Dia dos Namorados assinado com vários X
e ele teve de perguntar ao pai o que significava X
E seu pai deixou que ele dormisse na sua cama à noite
E era sempre lá que ele dormia Continuar lendo

Sinfonia

Para Sanmara Alcantara

 

Tudo o que eu mais queria
Era poder aliviar o teu cansaço
Adicionar cor aos teus dias
Te acalentar em meus braços
Queria transformar em melodia
Tudo o que te tira a alegria
E roubar pra mim o teu fardo.
Queria fazer sumir o que te angustia
Secar tuas lágrimas, construir rimas
Fazer tudo isso virar acorde
E te tocar a mais bonita sinfonia
Que algum compositor já escreveu

Queria poder te emprestar meus olhos
Pra que pudesses ver com clareza
E assim como eu, ter a certeza
De que não há no mundo tamanha beleza
como teu sorriso num dia de sol
Queria ser teu consolo, te proteger
Com os teus medos desaparecer
Cantar suave ao teu ouvido como um rouxinol
Ser da tua cama o lençol
E te proteger do mundo num abraço meu.

– Pedro Araújo