Fim de tarde

Então penso em você. Quando estou caminhando sozinho pela rua e de repente as lembranças me vêm à memória, como se estivessem perdidas e eu as reencontrasse assim como quem não quer. Quando estou distraído e sinto um cheiro de alguma coisa suave que me faz lembrar você. Ou quando sem querer encontro uma foto sua que eu pensava ter destruído. Então imagino se isso também acontece com você. Essa coisa de ficar lembrando e que aperta e que a gente chama saudade. Às vezes não serve pra nada além de causar dor. Pego o telefone disco seu número e depois desligo rápido. Penso em escrever cartas e não escrevo. Planejo o roteiro do nosso reencontro que nunca vai acontecer. Fim de tarde. Quando sento na varanda e penso em tudo o que aconteceu. Aconteceu? Às vezes parece que foi tudo um sonho que não sei se foi bom ou ruim, foi apenas sonho. Fico esperando que você me ligue ou que apareça de repente no meu portão dizendo que sentiu saudades. Vou pegar a caixa de lembranças pra tentar te esquecer. Vou dizer que só te amo às vezes, só pra não dizer que te amo sempre, pra ver se assim vou me acostumando aos poucos com a sua ausência. Só pra tentar me convencer de que não há arrependimentos quando meu coração está cheio deles. Só pra dizer que eu não te quero, te querendo mais forte do que o sol. Só pra dizer que o amor que existe em nós é para sempre, mesmo que seja só lembrança.

Pedro Araújo

Anúncios

2 comentários sobre “Fim de tarde

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s