Ao vento

Perto ou distante, ao vento.
Livre no tempo, solto dos nós,
Fico atento a teu sorriso, tua voz,
teu jeito sereno.
Me perco em silêncio
quando, de noite, teu retrato contemplo.
Sorrio tranquilo, e vou percebendo
Teus lábios macios, teu olhar, meu alento.
E seria dezembro,
vejo teu riso, teu olhar
vejo teu céu, sinto o tocar
dos teus dedos, tua pele.
É impossível te ver
e não te ansiar.

Pedro Araújo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s