Entreaberto

Pra você eu guardei tudo aqui, meu bem
Guardei nossos sonhos e as fotografias daquela noite na sua casa
Guardei teus bilhetes e as lembranças de nós dois deitados naquela noite de chuva
Reconstruí a tua imagem no meu quarto escuro
A penumbra revelando apenas partes tuas
Toda a beleza e a luz antiga da lua entrando pela fresta da janela aberta
A velha cantiga de ninar
A casa vazia, a porta entreaberta
Sinais da tua ausência que te pedem pra voltar
Está tudo guardado aqui ainda, meu bem
Nessas gélidas paredes onde um dia nos encostamos
No lençol frio da cama em que você deitou
Nas nossas músicas, que um dia cantamos
Na minha boca, o teu sabor
E nesse coração
Partido
A saudade que você deixou

Pedro Araújo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s